Santander

No lugar de abusos e explorações, educação e brincadeiras

O projeto Transformando Realidades tem criado novas perspectivas para crianças e adolescentes da comunidade do Tururu, em Paulista (PE), na área metropolitana do Recife

Fotos: divulgação / Instituto Dom Helder Câmara
22/10/2019

Praia é sinônimo de alegria, descanso e diversão. Mas para as crianças e adolescentes pouco assistidos que vivem nesses locais nem sempre é assim. Sem a presença de familiares por perto, eles estão sujeitos a riscos como o abuso e a exploração sexual. Com um trabalho de prevenção, o projeto Transformando Realidades vem mudando essa realidade na comunidade do Tururu, em Paulista (PE), na área metropolitana do Recife.

Meninos e meninas com histórias como a de Paula Roberta Nascimento dos Santos. Quando tinha dois anos, seus pais se separaram. O pai foi embora, a mãe resolveu mudar de cidade e a deixou para ser criada pela avó. Seu irmão, pouco mais velho que ela, foi mandado para o pai, que Paula nunca mais encontrou. Com uma aposentadoria de meio salário mínimo, a avó tinha outras bocas para sustentar: um filho com deficiência intelectual e outro alcoólatra. Nesse ambiente, faltavam alimento e outros itens básicos e sobrava violência. O tio alcóolatra espancava a avó para tirar parte do dinheiro da aposentada.

Destaque

"Era uma situação de muita pobreza e vulnerabilidade. A minha sorte foi ter começado a frequentar o projeto. "

Paula Roberta Nascimento dos Santos

Ex-participante do Instituto Educacional e Social de Arte e Ofício Dom Helder Câmara

O Transformando Realidades é mantido pelo Instituto Educacional e Social de Arte e Ofício Dom Helder Câmara. Paula chegou ali aos seis anos e era assídua nas atividades no período em que não estava na escola. “Eu chegava no Instituto, fazia atividades e tomava um café da manhã reforçado. Lanchava à tarde na escola e ia para casa sabendo que não teria nada para comer. Jantar, só às vezes, quando a vizinhança levava alguma coisa”, diz Paula, que hoje tem 29 anos, é formada em Pedagogia e faz especialização em Educação Especial e Inclusiva.   O projeto atende, atualmente, 138 crianças e adolescentes de 6 a 16 anos. Uma delas é a filha de Paula, Júlia, de sete anos. “Ela foi matriculada assim que completou seis anos. Eu tinha dois empregos, um de manhã e outro à tarde, e não tinha com quem deixá-la no período em que ela não estava na escola. Muitas mães, nessa situação, deixam seus filhos e filhas sozinhos em casa e eles acabam ficando parte do tempo na rua. Aí mora o perigo do abuso, da exploração sexual e do acesso às drogas”, diz Paula.

Educação e prevenção

Próxima às praias de Maria Farina e do Janga, duas belezas naturais de Pernambuco, a comunidade do Tururu era, até uma década atrás, um vilarejo de pescadores. Ali viviam cerca de 5 mil pessoas, sem energia elétrica, em casas feitas, a maioria, de madeira, plástico e papelão. Hoje, a comunidade tem mais de 10 mil moradores.

A população aumentou e, com esse crescimento, vieram melhorias nas habitações e na infraestrutura da região. Mas chegaram também outros problemas, como o tráfico de drogas, a exploração sexual e o trabalho infantil. “É comum ver crianças e adolescentes de baixa renda atendendo nos bares de praia”, conta o coordenador do projeto, Manuel Barbosa da Silva.

O Instituto Dom Helder Câmara surgiu há 30 anos para fazer frente a essa situação, oferecendo um espaço lúdico voltado à educação e prevenção. A instituição dá reforço escolar no período em que as crianças e adolescentes não estão na escola – estar estudando é um requisito para participar. Eles também fazem aulas de flauta, violão, trombone e trompete, oficinas de dança popular, aulas de informática, futebol, vôlei e brincadeiras. A equipe é formada por oito profissionais, sendo seis deles educadores sociais.

Destaque

"Com esse trabalho, fortalecemos a cidadania e a autoestima das crianças, dos adolescentes e de seus familiares, ajudando-os a reconhecer, evitar e combater todo tipo de abuso e violência. "

Manuel Barbosa da Silva

Coordenador do projeto Transformando Realidades

Com o recurso destinado por meio do Amigo de Valor, em 2019, a instituição reforçou a estrutura voltada para a prevenção ao abuso e exploração sexual. Pintou as instalações, reformou banheiros, melhorou a alimentação dos atendidos e comprou equipamentos novos para as atividades.