Atualizado em 19-02-2024

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Acessibilidade

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 12
Aumentar espessura do texto Aa
Preto e amarelo - tema para daltônicos (WCAG 16:44:1)
Preto e branco - tema para daltônicos (WCAG 21:1)
c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00
A imagem mostra um homem sentado à frente de uma mesa com um laptop e a frase 'Você comete esses erros?'.

Na hora de abrir uma empresa, é possível que alguns deslizes possam acontecer – principalmente se for a primeira vez. São documentações, processos, autorizações e uma série de novos hábitos que precisam entrar na organização do empreendimento, inclusive na área financeira.

De acordo com o IBGE, aproximadamente 60% das pequenas e médias empresas vão à falência nos primeiros cinco anos de negócio. Em 2022, praticamente a metade dos pedidos de falência foram decretados pela Justiça – o que indica que esses negócios eram financeiramente inviáveis.

Mas calma, não desanime! Para te ajudar a não fazer parte dessa estatística, listamos 5 erros financeiros para não cometer como empreendedor e assim, evitar perdas no seu orçamento. Boa leitura!

1. Não separar as finanças pessoais das contas da empresa

Um dos maiores erros que um empreendedor pode cometer é misturar as suas finanças de pessoa física com as de pessoa jurídica. Ainda que seja você mesmo o investidor inicial da sua empresa, é essencial fazer a gestão e separação dos valores que serão destinados para o negócio e não cair na tentação de tirar dinheiro do caixa para pagar as próprias dívidas.

Ter contas separadas é imprescindível para controlar tudo o que entra e sai. Inclusive, unir as finanças pessoais com as empresariais pode ser visto como sonegação fiscal pela Receita Federal, gerando um grande problema. Por isso, é fundamental já basear as finanças da empresa em uma gestão sólida e independente, tendo uma conta pessoal e uma conta bancária PJ (Pessoa Jurídica), própria para fins comerciais.

2. Não construir caixa para enfrentar diferentes cenários

Seja no início do empreendimento ou já em fase de consolidação, toda empresa passa por altos e baixos. Variações de impostos, mudanças no cenário econômico, flutuação do mercado... são muitas situações que podem afetar o andamento de um negócio em seu próprio segmento.

A construção de um fluxo de caixa para manter a vida financeira saudável é justamente a diferença entre as empresas que superam esses desafios e as que não – mesmo em tempos de instabilidade.

Assim, se não houver um planejamento adequado e coerente com a realidade da empresa, é possível que a chegada de diferentes cenários – desde crises administrativas a registros repentinos de alto faturamento – possa decretar a derrocada do negócio.

Para evitar essa falha, é essencial criar esse caixa sólido e ter clareza quanto ao público-alvo, a concorrência, os custos envolvidos e todas as variáveis que possam impactar o negócio em curto, médio e longo prazo.

Leia também: O que é capital de giro e qual a importância para a sua empresa?

3.  Não ter uma ferramenta de controle

Outro erro financeiro comum ao empreender é negligenciar a gestão dos gastos e tentar equilibrar vários pratos em uma mão só, sem qualquer apoio. Usar uma ferramenta de controle é um dos passos para profissionalizar essa demanda e uma solução para não se perder com os compromissos financeiros.

Com uma boa gestão financeira, você garante uma melhor organização dos seus recursos, tem maior praticidade no acompanhamento das entradas e saídas e relatórios das suas finanças que podem estar reunidos em um só lugar.

O CoPiloto Santander é uma ferramenta que possibilita ao pequeno e médio empreendedor acompanhar cada movimentação do negócio. Com a plataforma, é possível emitir notas fiscais, cadastrar produtos, acompanhar conciliação bancária entre outros recursos.

Conheça o serviço

 

4. Investir sem avaliar retorno

É possível que a sede de fazer o negócio dar certo levem o empreendedor a tomar atitudes por impulso, mas isso pode dar bastante errado. Fazer investimentos e solicitar crédito como capital de giro são outros exemplos de erros financeiros que você deve fugir na condução do seu empreendimento.

Mesmo que seja para o crescimento da empresa, é fundamental analisar se aquele aporte vai trazer os resultados esperados, com retorno rápido do investimento.

Nesse caso, o ideal é um plano de ação que constem as necessidades reais da sua empresa e previsões de retorno, a fim de que seja um investimento consciente e estrategicamente inteligente.

5. Não pesquisar as melhores taxas e condições para empresas

Outro erro que pode comprometer as finanças ao empreender é não prestar atenção às tarifas dos serviços financeiros e meios de pagamento, sem orçar as melhores condições para a sua realidade.

Antes de escolher os serviços para gerir todas as finanças da empresa, é essencial definir o que é mais importante para os seus negócios, o que não pode faltar no dia a dia e principalmente os custos que esses serviços terão mediante ao seu valor em caixa, receita, entre outros fatores.

Encontrar os melhores serviços e tarifas também faz parte de um planejamento financeiro consistente que vai evitar dores de cabeça ao final de cada mês.

No Santander, você encontra uma série de benefícios e condições especiais para conta PJ – seja para MEI, EI, Ltda ou demais modelos de negócio. Abra agora mesmo sua conta empresarial e garanta vantagens para manter a saúde financeira do seu negócio em dia.

Abrir conta PJ

 

Avalie esse artigo