Atualizado em 29-01-2024

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00

Você tem um dinheiro guardado na poupança ou parado na sua conta corrente? Essa quantia pode salvar suas contas no final do mês. A reserva de emergência é um recurso fundamental para cuidar melhor da sua saúde financeira.

Tem dúvidas de como economizar para caso aconteça algum imprevisto no mês? Sem problemas, vamos te dar algumas dicas para colocar em prática no seu dia a dia.

Vamos começar?

Mas afinal o que é uma reserva de emergência?

É um valor que você precisa guardar para que possa utilizar, caso aconteça algum imprevisto, como por exemplo:
• Perda de emprego
• Problemas de saúde
• Obras de emergência

Como o nome já sugere, a reserva de emergência garante a você dinheiro para, caso aconteça algum tipo de imprevisto, você consiga pagar todas as suas contas do mês.

No cenário atual brasileiro, a educação financeira ainda não é difundida e isso reflete no índice de endividamento das famílias. Segundo dados levantados pela a Agência Brasil, cerca de 60% das famílias possuem algum tipo de dívida em atraso.

Ainda nesse cenário de endividamento, boa parte delas acontecem por conta do uso indevido do cartão de crédito. Por isso, ter uma reserva emergencial é essencial para evitar atrasos nas contas.

Economizar não é uma coisa do outro mundo e você pode poupar dinheiro com algumas atitudes pequenas.

Mas como fazer uma reserva emergencial?

Para começar a guardar dinheiro, primeiro é necessário fazer um planejamento financeiro e colocar na ponta do lápis: o quanto você ganha por mês e quais são seus principais gastos.

Neste post separamos dicas valiosas para te ajudar a organizar as dívidas, fazer o uso consciente do crédito e pagar as contas em atraso.

Após colocar no papel os seus gastos, veja qual deles são serviços essenciais e os que possuem os juros mais altos para serem priorizados e sem comprometer sua qualidade de vida. Os pequenos gastos diários em um primeiro momento parecem não impactar o planejamento, mas a longo prazo, o valor pode ser alto.

Tente reduzir suas despesas mensais, faça escolha e tente guardar dinheiro para sua reserva de emergência. Agora que já sabe o quanto gasta por mês, chegou o momento de definir qual será o valor total de sua reserva de emergência. Seja realista, a quantia deve estar de acordo com os valores que sobram do seu salário.

Aqui no Santander temos algumas opções para você aplicar o seu dinheiro, como por exemplo, a poupança e o Futuro Protegido – a combinação entre investimento e seguro de vida. Escolha o produto financeiro que se aproxime mais do seu perfil de investimento.

O quanto devo poupar por mês?

Lembra que comentamos sobre seus custos fixos por mês? O ideal seria ter pelo menos o valor que consiga cobrir seus gastos por até 6 meses, assim você terá maior tranquilidade e segurança.

O modelo de conta é bem simples, por exemplo, se seu salário corresponde a R$3.000 e os gastos giram em torno de R$1.500,00 esse deve ser o valor mínimo para guardar na sua reserva.

Porém, não existe uma regra fixa para a reserva emergencial, já que ela pode variar de acordo com sua realidade, por exemplo:

• Assalariados: o ideal seria possuir uma reserva de emergência que consiga cobrir seus gastos por pelo menos 6 meses.
• Servidores públicos concursados: a reserva deve cobrir gastos por 3 meses.
• Autônomos/MEI: com renda fixa ou variável, a reserva deve ter o valor suficiente para gastos por no mínimo 12 meses.

Vale a pena lembrar de revisar o valor de sua reserva a cada 6 meses, já que seu estilo de vida pode ter mudado. A conferência também é válida para verificar o quanto você já conseguiu guardar e claro, se o montante consegue suprir suas necessidades.

Agora que já conhece mais sobre a reserva de emergência, já pode começar a guardar dinheiro aqui no Santander. Conheça os investimentos que estão disponíveis para você.

Avalie esse artigo