Atualizado em 04-05-2022

por Equipe Santander

Diversos conselhos são transmitidos aos mais novos com relação à economia de dinheiro para o seu futuro. Alguns sugerem a aplicação de dinheiro na poupança, outros para títulos indexados à inflação, como tesouro direto ou até mesmo o CDBs e claro, a previdência privada.

Mas ainda permanecem muitas dúvidas entre o que é, como funciona e qual a diferença entre a previdência social e previdência privada. Para melhorar a sua aplicação sobre esses investimentos, preparamos esse conteúdo para resolver os seus problemas de uma vez por todas.

Boa leitura!

O que é a previdência social?

A previdência social é um seguro social, onde sua contratação é realizada através de contribuições mensais por trabalhadores CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), trabalhadores domésticos, contribuintes individuais, trabalhadores avulsos, trabalhadores rurais e aqueles que contribuem com a previdência social (mesmo sem alguma atividade remunerada).

As contribuições citadas são recolhidas através do órgão do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e ela é descontada através da GPS (Guia da Previdência Social). Para os trabalhadores registrados, o desconto é feito na folha salarial e especificado o valor no holerite entregue ao funcionário.

A previdência social funciona como um seguro, garantindo ao beneficiário uma remuneração em caso de indisponibilidade de exercer alguma atividade, seja ela por motivos de idade avançada, acidentes que causem limitações de mobilidade, alguma doença que necessite de um tratamento a longo prazo ou até mesmo para mães que precisam se afastar devido a maternidade.

Os valores de contribuição variam de acordo com a renda do trabalhador. Recentemente, o valor do salário mínimo sofreu uma alteração, porém a porcentagem de desconto permanece o mesmo. Veja os valores atualizado:

• Até R$ 1.212,00 (salário-mínimo) – 7,5%

• Entre R$ 1. 212,00 e R$ 2.427,35 – 9%

• Entre R$ 2.427,36 e R$ 3.641,03 – 12%

• Entre R$ 3.641,03 e R$ 7.087,22– 14%

Fonte: gov.br

O que é a previdência privada?

O plano de previdência privada não está diretamente relacionado ao INSS e destina-se a complementar o sistema de segurança social.

A principal diferença entre eles é que, ao contrário do social, o privado permite determinar o montante da sua contribuição mensal no momento da contratação. Outro elemento significativo é que pode  resgatar o valor, após o período de carência, mas deve se atentar às regras do modelo de plano que escolheu. É fundamental estar ciente de todos os fatos.

É possível também escolher entre os modelos de tributação regressiva e progressiva.

Além disso, existem dois tipos diferentes de planos de previdência. O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livre)

Para aqueles que apresentam uma declaração de rendimentos completa no Imposto de Renda, o PGBL permite-lhe deduzir 12% dos seus rendimentos anuais tributáveis do seu imposto sobre o rendimento. No entanto, o imposto devido no momento do levantamento será baseado na totalidade do montante do plano. É sugerido para pessoas que apresentem uma declaração de imposto completa.

O VGBL funciona de forma semelhante a um seguro de vida, mas também inclui cobertura de sobrevivência. As pessoas que preferem apresentar declarações de imposto de renda simplificadas são mais propensas a utilizar este tipo de plano de previdência privada.

Quais as principais diferenças entre as previdências?

A principal diferença entre as previdências é a questão de obrigatoriedade, pois a Social é um conjunto de serviços que visa resguardar o colaborador de possíveis acidentes ou a renda no momento de encerrar o ciclo de trabalhador ativo. Sem essa contribuição, o profissional não terá uma renda mensal para sustentar-se no futuro.

Já a previdência privada é um tipo de investimento que visa complementar a sua renda no futuro. Então, a contratação irá depender apenas do planejamento financeiro realizado pelo interessado, principalmente o modelo de tributação e a modalidade do investimento.

Outro fator importante é a opção de resgate. Com a previdência social você poderá realizar o saque exclusivamente, no caso de entrada do processo de aposentadoria ou em casos de acidentes e qualquer outro fator que o impossibilite de exercer sua função.

Enquanto isso, a privada possibilita o resgate antes do prazo definido no momento da contratação. Mas é importante ressaltar que existe o tempo de carência para esse resgate, que varia de acordo com o previsto contratualmente.

Além disso, no momento do resgate há o desconto do Imposto de Renda, de acordo com o plano escolhido.

É claro que os valores não serão altos em caso de resgate antecipado, pois como a maioria dos investimentos, quanto maior o tempo de contribuição, melhor será a rentabilidade gerada.

Vimos um pouco sobre o amplo tema de previdências, entendendo como funciona cada uma delas e quais as principais diferenças. Mas sabemos que todo investimento precisa ser pensado para longo prazo. Por isso, é importante planejar a sua vida financeira antes de dar início ao mercado de investimentos.

"Todo conteúdo desta publicação foi tirado das fontes aqui informadas. Esse blog possui caráter informativo, não representando a opinião, recomendação ou posicionamento formal do Santander ou das empresas de seu conglomerado”

Planos de Previdência administrados pela Zurich Santander Brasil Seguros e Previdência S.A., CNPJ no 87.376.109/0001-06. A aprovação dos planos pela SUSEP não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação à sua comercialização. O participante poderá optar ou não pelo critério de tributação por alíquotas decrescentes. A opção pelo regime de tributação regressiva é irretratável. As condições contratuais/regulamento deste produto, protocolizadas pela sociedade/entidade junto à SUSEP, poderão ser consultadas no endereço eletrônico www.susep.gov.br, de acordo com o número de processo constante da apólice/proposta, também disponíveis na rede de agências ou no site www.santander.com.br. Canal Ouvidoria nº 0800 726 0322.