Atualizado em 15-03-2024

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Acessibilidade

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 12
Aumentar espessura do texto Aa
Preto e amarelo - tema para daltônicos (WCAG 16:44:1)
Preto e branco - tema para daltônicos (WCAG 21:1)
c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00
Na imagem temos um texto à esquerda com a frase ‘Reforce a sua segurança’. Já à direta, temos uma ilustração que representa um homem vestido com um terno azul que está mexendo em um notebook

Está enganado quem acredita que os golpes acontecem somente com a implementação de tipos de vírus ou com o acesso de hackers. Afinal, a engenharia social está aí para provar isso.

Os criminosos estão se aproveitando da vulnerabilidade e das emoções das pessoas para conseguirem atingir seus objetivos, seja alguma ação específica ou o compartilhamento de informações confidenciais que podem comprometer a sua segurança.

Esse modo de manipular as vítimas recebeu a denominação de engenharia social e se você quer se manter protegido, confira tudo sobre essa técnica usada pelos golpistas. Boa leitura!

Você sabe o que é engenharia social?

A engenharia social não é um exatamente um golpe nem tem relação com a profissão de Exatas, já que se refere a um mecanismo de manipulação utilizado por cibercriminosos. Eles se passam por pessoas confiáveis ou por empresas conhecidas, para que tenham o que é necessário para aplicarem outros golpes ou fraudes.

Tais pessoas mal-intencionadas frequentemente estão aplicando essa técnica para convencer a vítima a partilhar as suas informações, como dados bancários de conta e cartão, login e senha dos mais variados acessos a perfis ou aplicativos, dados de RG e CPF. Ou, em casos mais críticos os golpistas conseguem convencer você a entregar seu cartão e senha ou a realizar alguma transação financeira.

Com esses dados, os criminosos têm as informações certas para acessarem os seus perfis de redes sociais ou a sua conta em instituições financeiras, para se passarem por você, para fazerem um Pix utilizando o seu dinheiro, contratarem produtos em bancos, como empréstimos e financiamentos, para comprarem e fazerem pagamentos e muito mais.

Entenda como funciona essa técnica

Normalmente, a engenharia social é utilizada da seguinte forma: o criminoso entra em contato e finge ser uma empresa, uma personalidade conhecida, alguém do seu convívio, funcionários de bancos ou até uma autoridade, como profissionais da Receita Federal, e aplicam a técnica de manipulação nas vítimas em trocas de mensagens ou em ligações.

Os golpistas conseguem a atenção da vítima alegando terem um assunto importante para tratar com você, como por exemplo se passando por um funcionário do seu banco dizendo que há um problema em sua conta ou cartão como uma transação financeira que você não reconhece.

Ao convencerem a vítima e ganharem a sua confiança, eles se mostram dispostos a ajudar e que para isso é preciso compartilhar informações sigilosas ou realizar um pagamento.

Quero me proteger da engenharia social, o que eu faço?

Sabendo como são as abordagens desta técnica, um dos primeiros passos para aumentar a sua segurança e evitar que a engenharia social atraia você ao golpe é não informar os seus dados sigilosos em conversas nas quais estejam solicitando, em nenhuma hipótese.

E nunca realize nenhum pagamento ou baixe aplicativos sem antes verificar se realmente é a empresa ou pessoa confiável por trás daquele pedido. Isto é, sempre desconfie de propostas que parecem ser boas demais para ser verdade, de contatos desconhecidos que acionam você e de mensagens que pareçam urgentes.

Esteja atento ao se deparar com um cenário que se pareça com um golpe e, sempre que possível, confirme a mensagem com a empresa ou com o seu banco pelos canais oficiais.

Outra medida de segurança para não cair nos golpes e fraudes que utilizam a engenharia social é não clicar em links suspeitos e sempre ter um antivírus instalado em seu dispositivo, o que pode evitar que o seu celular ou computador seja infectado.

E lembre-se: nós do Santander não ligamos pedindo as suas senhas, o seu ID Santander e nem que realize uma transação financeira para cancelar outra não reconhecida ou que instale aplicativos de atualizações de segurança.

Quer saber mais sobre quais são os golpes do momento, e conferir as dicas de proteção dos nossos especialistas? Então, continue acompanhando os nossos conteúdos aqui no Blog Santander ou na nossa página sobre segurança.

Leia sobre segurança

E se você for vítima de golpe, entre em contato com a nossa Central de Atendimento (4004-3535) para reportar o ocorrido.

Avalie esse artigo