Atualizado em Tue Dec 19 18:27:40 GMT-03:00 2023

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Acessibilidade

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 12
Aumento de espessura do texto Aa
Preto e amarelo - tema para daltônicos (WCAG 16:44:1)
Preto e branco - tema para daltônicos (WCAG 21:1)
c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00
Na imagem, há uma ilustração de dois homens na frente de um conjunto de prédios. No topo da imagem, a frase “conheça a multipropriedade imobiliária”.

Não são poucas as possibilidades para você começar a investir e você deve conhecer muitas das opções, seja na renda fixa ou variável: ações, fundos de investimento, CDBs, LCIs, LCAs, fundos imobiliários, previdência privada, tesouro direto e tantos outros.

Investir em imóveis também é possível, aliás, o mercado imobiliário oferece um amplo leque aos investidores, com diversas modalidades de investimento e aquisição de propriedades. Nesse universo específico, existe a multipropriedade imobiliária, algo inovador e flexível que proporciona uma maneira diferente (e única) de usufruir de imóveis de alto padrão sem a necessidade de um investimento integral.

Ficou com dúvidas? Não se preocupe, pois no texto a seguir vamos responder todas as perguntas sobre a multipropriedade integral, como esse ativo funciona e quais são suas vantagens e pontos de atenção. Vamos lá?

O que é Multipropriedade Imobiliária?

A multipropriedade também é conhecida de time-sharing ou compartilhamento de tempo, na tradução direta. E esse termo explica em o funcionamento dessa modalidade, pois diferentes pessoas compartilham a propriedade de um mesmo bem imóvel. O que isso quer dizer? Para começar, diferentes proprietários podem utilizar o imóvel em diferentes períodos. Na maioria das vezes, essa divisão acontece ao longo do ano.

Vamos pensar em um exemplo? Suponha que 10 pessoas têm interesse em uma casa de praia. Cada um desses interessados vai adquirir uma fração do imóvel e compartilhar os custos operacionais, de manutenção, impostos, entre outros. Em troca disso, cada parte poderá utilizar a casa em diferentes dias/fins de semana/temporadas do ano.

Como funciona a multipropriedade imobiliária?

Dá para entender a essa modalidade em 4 características dominantes:

Divisão do tempo: normalmente, a propriedade é dividida em períodos fixos, e cada proprietário tem acesso ao seu tempo durante esses intervalos. Vamos supor que você comprou uma fração de um flat em um resort, certo? Durante a divisão do tempo, você ganhou o direito de utilizar aquele imóvel em durante 4 semanas durante o ano. É provável, ainda, que você precise separar essas semanas, ou seja, em meses distintos.

Mas atenção: cada caso é um caso. Por isso, é importante verificar o seu contrato, caso você vá contratar uma multipropriedade. Isso é fundamental para entender a divisão de tempo, valores, entre outros fatores.

Custos compartilhados: se o tempo é compartilhado, os custos associados à propriedade, como manutenção e taxas, também são divididos entre os proprietários de acordo com suas frações. Isso permite que os custos totais sejam mais acessíveis em comparação com a aquisição integral de uma propriedade.

Se você não tem o capital para comprar a tão sonhada casa de praia, essa pode ser uma solução para aproveitar alguns feriados do ano ou até as suas férias.

Flexibilidade de uso: os proprietários geralmente têm a flexibilidade de usar, alugar, trocar ou vender suas semanas de propriedade. É uma alternativa muito admirada por essa dinâmica, por permitir que os investidores ajustem seu uso de acordo com as necessidades do seu dia a dia. Se você não pretende usar uma semana que seria sua de acordo com a divisão de tempo que foi feita? É só vender aquele tempo para outro proprietário ou até para um terceiro.

Gestão profissional: muitos dos empreendimentos que trabalham com essa modalidade contam com serviços de gestão profissional que cuidam da manutenção, limpeza e administração geral da propriedade. Isso proporciona uma experiência mais tranquila e conveniente para os proprietários.

Quais as vantagens da multipropriedade imobiliária?

1. Acessibilidade financeira: oferece uma maneira mais acessível de ter acesso a propriedades de alto padrão, já que os custos são distribuídos entre os proprietários. Ao dividir custos e responsabilidades, é possível conseguir mais. Simples assim.

2. Diversificação de investimento: investir em diferentes propriedades por meio da multipropriedade permite uma diversificação de portfólio, reduzindo os riscos associados a um único ativo. E se você acompanha o nosso blog, sabe que diversificar investimentos é prioridade número um, seja você um iniciante ou veterano nesse universo.

3. Flexibilidade de uso: oferece a possibilidade de escolher quando utilizar a sua parte da propriedade, seja um fim de semana, feriado, férias ou uma data aleatória qualquer. Mas atenção, lembre-se que a divisão de tempo é feito com a concordância de todos os proprietários.

4. Investimento profissional: como falamos anteriormente, em algumas multipropriedades existem serviços de gestão que vão tomar conta de das responsabilidades operacionais da propriedade. Essa tranquilidade fará você aproveitar só o ‘lado bom’ desse investimento. Faz diferença.

O que levar em conta antes de contratar?

1. Coordenação entre proprietários: a necessidade de coordenar o uso do imóvel entre diferentes proprietários pode ser um desafio, exigindo uma comunicação eficiente. Se a relação for boa, os benefícios serão sempre maiores do que as preocupações.

2. Valorização do imóvel: embora os proprietários possam se beneficiar da valorização do imóvel, também podem ser afetados por sua desvalorização. Como a maioria dos investimentos, certo?

3. Riscos compartilhados: os riscos associados à propriedade, como despesas inesperadas, são compartilhados entre os proprietários, o que pode ser tanto uma vantagem quanto uma desvantagem, dependendo das circunstâncias.

A multipropriedade é considerada um consórcio?

A multipropriedade imobiliária é um tipo de consórcio? Essa pode ser uma dúvida comum, mas a resposta é negativa. São modalidades distintas, embora compartilhem alguns princípios fundamentais. Vamos falar mais sobre eles agora:

• Multipropriedade Imobiliária:

- Envolve a aquisição de frações de propriedade em um bem imóvel;

- Os custos são compartilhados entre os proprietários;

- Oferece direitos de uso e possibilidade de ganhos com a valorização do imóvel.

• Consórcio:

- Um grupo de pessoas contribuem mensalmente para formar uma poupança comum;

- Os participantes concorrem mensalmente para serem contemplados com uma carta de crédito;

- A carta de crédito pode ser utilizada para a aquisição de bens, incluindo imóveis.

Após a aquisição do imóvel, na multipropriedade, como falamos anteriormente, você vai dividir o bem com os outros compradores e usufruir daquele bem em determinados períodos. No consórcio, após receber a carta de crédito e concluir a compra do bem, ele será seu e somente seu.

A multipropriedade imobiliária é uma solução diferente e até inovadora para investir em bens imóveis, proporcionando acessibilidade financeira, flexibilidade de uso e gestão profissional. Embora seja diferente de um consórcio, compartilha a ideia de um investimento compartilhado entre os participantes.

Será que um consórcio é o que estou procurando?

Um consórcio é uma modalidade de investimento coletivo que permite a um grupo de pessoas realizar compras de bens como veículos e imóveis.

O funcionamento é bem simples: ao contratar um consórcio, você será incluído em um grupo, com outros participantes. Todos os consorciados desse grupo contribuem mensalmente para a construção de um fundo de dinheiro. A cada mês, um ou mais participantes são contemplados com uma carta de crédito. Com essa carta, é possível adquirir o bem desejado, de acordo com a modalidade que foi contratada (imóveis, veículos ou motos).

Em outras palavras, é uma alternativa para quem não quer pagar juros altos em financiamentos ou retirar aplicações e investimentos, por exemplo, para uma aquisição a vista. Faz sentido para você?

Quero um consórcio

Leia também: Consórcio ou Financiamento: qual escolher?

Avalie esse artigo