:

Atualizado em Thu Feb 29 12:42:34 GMT-03:00 2024

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Acessibilidade

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 12
Aumentar espessura do texto Aa
Preto e amarelo - tema para daltônicos (WCAG 16:44:1)
Preto e branco - tema para daltônicos (WCAG 21:1)
c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00
Ilustração de um homem regando uma planta. Porém, no lugar de flores, a planta tem pequenas moedas de ouro. No topo, a frase: novas regras da aposentadoria.

O ano de 2024 marca um capítulo significativo na história previdenciária do Brasil, pois será marcado por algumas mudanças importantes no cenário das aposentadorias. A reforma previdenciária é um debate atual e constante do país e as alterações nas regras para este ano prometem alterar os rumos do sistema.

No texto a seguir, vamos explorar essas alterações e entender como elas afetarão os trabalhadores brasileiros.

Se você ainda não está por dentro do que vai mudar daqui para frente, junte-se a nós para essa análise das mudanças que moldarão o futuro das aposentadorias no Brasil a partir de 2024. Vamos?

O que mudou nas regras da aposentadoria?

As novas regras são progressivas, ou seja, a idade mínima e o número de pontos necessários para aposentadoria aumentam a cada ano. Em 2024, as regras para quem já estava no sistema antes de 13/11/2019, são as seguintes:

• Aposentadoria por idade progressiva em 2024 (com tempo mínimo de contribuição)

Mulheres: 58 anos e 6 meses

Homens: 63 anos e 6 meses

• Transição simples por idade (tempo de contribuição mínimo 15 anos)

Mulheres: 62 anos

Homens: 65 anos

• Aposentadoria por pontos = tempo de contribuição + idade

Mulheres: 91 pontos (com pelo menos 30 anos de contribuição)

Homens: 101 pontos (com pelo menos 35 anos de contribuição)

Além dessas regras, existem também outras regras de transição, como o pedágio, para os segurados que já estavam contribuindo para o INSS antes da reforma da Previdência.

Contudo, a reforma da Previdência pode ser um tema polêmico e que sempre gera muito debate, no entanto, as novas regras já estão em vigor e é importante que os segurados estejam cientes delas para que possam planejar sua aposentadoria.

A importância do planejamento financeiro para a aposentadoria

A aposentadoria é direito constitucional que assegura aos cidadãos a possibilidade de afastamento remunerado das atividades desempenhadas, desde que cumpridos os requisitos exigidos, de modo que possam receber benefício da previdência oficial (INSS) e/ou privada.  

Dessa forma, é de suma importância o planejamento financeiro e previdenciário, a fim de que, por impossibilidade de exercer atividades que resultem no recebimento de renda ou pelo cumprimento do tempo de trabalho/contribuição estipulado em legislação, exista a segurança de garantir recursos, dinheiro para as suas necessidades. Essa medida prescinde de exercícios de poupança e diversificação de investimentos adequados.  

Os principais cenários que motivam o planejamento da aposentadoria são:

1. o aumento da expectativa de vida;

2. a administração de custos inerentes a esta fase, que podem ser elevados e afetar o orçamento pessoal e familiar;

3. contribuir com o resguardo da dignidade humana, vez que reduz o risco de exposição a circunstâncias que podem comprometer a vida, saúde, segurança, alimentação e habitação de público considerado vulnerável.

Por fim, mesmo com o uso de ferramentas que convergem para o alcance do benefício oficial (INSS), não existem garantias de que este seja suficiente para manter o padrão de vida anterior, razão pela qual cogitar a contratação de plano de previdência privado é diferencial que pode influenciar positivamente na projeção pretendida.

Como se preparar financeiramente para a aposentadoria?

A primeira dica é otimizar o tempo. Quanto mais cedo começar a investir, maior será o prazo para obtenção de retornos acrescidos. É preciso investir de forma estratégica e adequada, pois existem inúmeros tipos de investimentos e cada um com seus próprios riscos e retornos. É necessário entender o seu perfil de investidor e seus objetivos para programar em como utilizar os recursos disponíveis.

Outro ponto que merece atenção é a diversificação dos investimentos, pois ao alocar recursos em diferentes tipos de ativos, ajuda a reduzir o risco ao longo do tempo.

O planejamento financeiro para a aposentadoria é um processo importante e que deve ser iniciado o quanto antes, pois melhora a possibilidade de consolidação de cenário favorável aos participantes. Com planejamento e dedicação, é possível programar aposentadoria que seja mais confortável e segura.

Quais os investimentos mais indicados para a aposentadoria?

Como mencionado anteriormente, a escolha dos investimentos para a aposentadoria deve ser feita de acordo com o perfil de risco do cliente e com os objetivos pretendidos. No entanto, existem alguns investimentos que são considerados mais adequados para esta finalidade, vez que oferecem retornos atrativos.

Apresentamos 3 investimentos interessantes para se preparar para a aposentadoria:

1. Previdência Privada

A previdência privada é um tipo de investimento que tem como objetivo garantir renda complementar na aposentadoria. Existem dois tipos de produtos de previdência privada:

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre): os aportes feitos na PGBL são dedutíveis do Imposto de Renda, até o limite de 12% da renda bruta tributável. Mas os resgates (total ou parcial) e o recebimento de benefício é tributado conforme o regime de tributação escolhido.

VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre): destinado àqueles que declaram o IR no modelo simplificado. Os aportes feitos na VGBL não são dedutíveis do Imposto de Renda, mas no resgate, apenas a rentabilidade é tributada de acordo com o regime de tributação escolhido.

A previdência privada é opção segura e flexível, pois permite que o investidor tanto diversifique os investimentos como mude de estratégia, conforme volatilidade do cenário econômico, sem que tenha incidência de Imposto de Renda na transferência entre os fundos de previdência.

2. Fundos de Investimentos

Os fundos de investimentos são forma de investir em diferentes ativos, como ações, títulos de renda fixa, câmbio e outros. Existem diferentes tipos de fundos de investimentos, cada um com seus próprios objetivos e riscos.

Podem ser opção atrativa para a aposentadoria, pois permitem que o investidor diversifique sua carteira e dilua o risco.

3. Títulos Públicos

Os títulos públicos são títulos de dívida emitidos pelo Governo Federal. São considerados investimentos seguros, pois o Governo tem o compromisso de honrar seus pagamentos.

Os títulos públicos podem ser opção vantajosa para a aposentadoria, pois oferecem a possibilidade de obter rendimentos reais, quando falamos do IPCA+, ou seja, rentabilidade acima da inflação.

Quero investir

É importante lembrar que a escolha dos investimentos para a aposentadoria deve ser feita com o acompanhamento de profissional qualificado. Não sabe como começar? O Santander tem portifólio completo para você, com opções de investimentos para todos os perfis.

Avalie esse artigo