Atualizado em 17-05-2024

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Acessibilidade

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 12
Aumentar espessura do texto A+
Aumento de espessura do texto Aa
Preto e amarelo - tema para daltônicos (WCAG 16:44:1)
Preto e branco - tema para daltônicos (WCAG 21:1)
c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00
A imagem mostra a ilustração de duas mãos mexendo em um tablet com um gráfico. Ao lado, lê-se a frase 'Você sabe o que é PIB?'.

No universo da economia, uma série de indicadores são usados para avaliar seu desempenho, desenvolver critérios de avaliação financeira e planejar estratégias de crescimento. E um dos indicadores mais comuns é o PIB – sigla para Produto Interno Bruto – que você certamente já ouviu falar.

Frequentemente citado em noticiários e relatórios do governo, além de ser assunto central entre a comunidade empresarial, o indicador é considerado um ponto de referência para a saúde das economias globais.

Ele é como um termômetro da economia que serve de base para o governo e tomada de decisões por agentes econômicos – o que acaba afetando diretamente a vida da sociedade. Segundo o IBGE, em 2023 o PIB brasileiro chegou a R$ 10,9 trilhões, o que representou um crescimento de 2,9% no acumulado dos 4 trimestres do ano.

Mas... você sabe o que tudo isso significa?

Para entender melhor sobre o PIB, sua importância e como ele impacta no nosso dia a dia, criamos este conteúdo com as principais informações. Boa leitura!

O que é PIB?

O PIB, ou Produto Interno Bruto, é um indicador que mede o valor em dinheiro dos bens e serviços finais produzidos em uma região (cidade, estado ou país) por um determinado período – normalmente um ano.

Em outras palavras, ele representa a soma desses produtos produzidos para venda no mercado em todos os setores da economia, da indústria e prestação de serviços até a agricultura. Também abrange o lado da demanda, com os gastos de consumo final das famílias, investimento de empresas, gastos do governo e exportações líquidas (exportações menos importações).

Importante destacar que o PIB não se refere ao total da riqueza existente em um país, como um tipo de tesouro nacional ou estoque de valor de determinada região. Ele apenas indica o fluxo de novos bens e serviços finais produzidos em um período. Se nada for produzido, o PIB será nulo.

Como o PIB é calculado?

Cada país calcula seu PIB em sua respectiva moeda, e no Brasil ele é feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a cada três meses. E precisamos entender o que compõe exatamente este cálculo.

Ele é composto pela soma do valor de bens e serviços a partir do preço que chega ao consumidor, evitando duplicidade na contagem e alteração do indicador. Por exemplo: se foram produzidos R$ 100 de trigo, R$ 200 de farinha de trigo e R$ 300 de pão, o PIB será de R$ 300 – pois os valores dos seus ingredientes já estão embutidos no produto ofertado ao consumidor.

Na prática, para calcular o PIB brasileiro são usados dados produzidos pelo próprio IBGE e por fontes externas, como o Banco Central (BC), a Receita Federal e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Alguns dos principais índices que compõem este cálculo são balanços de pagamentos (transações internacionais e recebimento de recursos externos, por exemplo), Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), Pesquisa Anual do Comércio (PAC), entre outros.

Para fazer o cálculo, três métodos são possíveis e chegam ao mesmo resultado:

- Abordagem da produção ou oferta: somam-se os valores agregados brutos obtidos em uma localidade, incluindo indústria, setor de serviços e agropecuária.

- Abordagem da demanda: outra maneira de calcular o PIB é usar a demanda como base, ou seja, o consumo. A análise considera o consumo das famílias, do governo, despesas das empresas, exportações e importações.

- Abordagem da renda: este método usa a renda para fazer o cálculo, somando os salários, os juros, lucros distribuídos e aluguéis.

E qual a diferença entre PIB Nominal e PIB Real?

Existem dois tipos de cálculo do PIB que fazem diferença na análise ao longo do tempo - que é o caso do PIB Nominal e PIB Real:

PIB Nominal: é calculado conforme os preços dos produtos e bens vigentes quando foram produzidos e comercializados. São calculadas as variações nos preços de mercado, refletindo o impacto da inflação ou deflação.

PIB Real: entram no cálculo apenas os preços constantes, ou seja, o valor do produto ou serviço sem o efeito da inflação ou deflação, com as alterações de preços de mercado. Neste caso, ele reflete o crescimento efetivo da produção e minimiza o impacto das flutuações de preço.

Leia também: O que é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)?

O que é PIB per capita?

Outro conceito importante de entender é o PIB Per capita, ou PIB por pessoa. Esse indicador é obtido quando dividimos o valor do PIB pelo número de habitantes do município, país ou estado que está sendo analisado.

Assim, ele representa o valor médio que cada indivíduo da região analisada teria do total de riquezas produzidas se todos recebessem partes iguais.

É pelo PIB per capita que vemos as limitações do indicador, já que ele não expressa fatores importantes como distribuição de renda, qualidade de vida, saúde e educação. Ele também não engloba atividades não registradas, como serviços prestados de forma autônoma e informal.

Dessa forma, vemos que um país com PIB alto não necessariamente tem uma população que vive bem; assim como uma região com o indicador pouco expressivo pode ter indivíduos com melhor qualidade de vida.

Por que o PIB é importante?

Alguns motivos fazem do PIB essencial para avaliar a economia de um país, como:

- Avaliar a evolução da economia: ao fazer isso ano a ano, é possível entender se a economia está crescendo e estão sendo produzidos mais ou menos bens e serviços;

- Comparação e análise: o PIB permite a comparação do desempenho e tamanho da economia de diferentes países e regiões;

- Apoio para criação de políticas públicas: o indicador também auxilia governos na formulação de políticas econômicas e estratégias que vão impactar a sociedade, como investimentos em infraestrutura e programas sociais;

- Atrai investimentos: um PIB alto pode indicar que o país está produzindo e consumindo em larga escala, tornando a região um mercado atrativo para empresas estrangeiras investirem.

Em resumo: se o PIB está positivo, isso pode refletir em geração de emprego, maior renda e mais oportunidades de negócio. Por outro lado, se ele teve uma queda em relação ao período anterior, isso significa que houve menos produção e comércio, resultando em uma menor confiança para novos investimentos nacionais e internacionais – gerando possíveis recessões.

O PIB impacta nos investimentos?

Sim, o PIB influencia os investimentos feitos em um país porque, como dissemos anteriormente, seu resultado pode indicar que a economia está crescendo e que há oportunidades para as empresas se desenvolverem – no caso de um PIB alto.

Com isso, novos negócios são realizados, mais pessoas passam a ter emprego, os salários aumentam e a economia segue aquecida. Com o cenário favorável, empresas do exterior são atraídas e isso melhora a percepção de risco do país.

Mas é importante considerar que um PIB positivo para a economia não significa em investimentos rentáveis na mesma proporção: uma série de fatores podem impactar nos resultados e, principalmente, na estratégia usada.

Acompanhe o Blog Santander para entender tudo sobre outros indicadores importantes, como IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) e INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Confira os nossos conteúdos sobre Educação financeira e fique por dentro de tudo que pode impactar seu bolso e sua qualidade de vida!

Educação financeira

Fonte: IBGE, Infomoney, CNI (Confederação Nacional da Indústria)

Avalie esse artigo