Atualizado em 22-02-2022

por Equipe Santander

Você tem um dinheiro guardado na poupança ou parado na sua conta corrente? Sabia que essa quantia pode salvar suas contas no final do mês se usada corretamente?

Pois é! A reserva de emergência é um recurso que muita gente não sabe como fazer, mas é fundamental para cuidar melhor da sua saúde financeira.

Se você tem dúvidas de como montar a sua reserva ou busca dicas sobre como economizar para conseguir se planejar e guardar algum dinheiro, confira o conteúdo abaixo que vamos te ajudar.

Afinal, o que é uma reserva de emergência?

Diante do cenário dos últimos meses, percebemos o quanto é importante ter um planejamento financeiro para enfrentar momentos de crise. Durante a pandemia, muitas pessoas perderam sua fonte de renda de uma hora para outra, ficando sem saber o que fazer. Em situações como essa, a reserva de emergência se torna essencial.

Como o próprio nome já diz, essa reserva nada mais é que um dinheiro guardado para você usar em emergências como: a perda de um emprego, um problema de saúde, uma dívida inesperada, uma reforma de última hora etc.

Como iniciar uma reserva emergencial?

A primeira coisa a fazer para juntar esse dinheiro é ter consciência dos seus gastos. Neste post, você encontra dicas valiosas de como organizar as finanças de forma simples e objetiva.

Em seguida, faça uma planilha ou anote em um caderno todos os seus gastos mensais, dividindo a sua renda em:

Despesas fixas
Moradia, alimentação, transporte, impostos, conta de luz, gás e saúde.

Despesas não fixas
Ida ao restaurante, café na padaria, compra de uma roupa nova, presentes para parentes, entre outros.

Agora que você colocou no papel seus gastos mensais e já sabe quais são serviços essenciais e que devem ser priorizados junto com as despesas fixas, chegou a hora de fazer escolhas inteligentes com base nas despesas não fixas. É delas que normalmente conseguimos guardar dinheiro e economizar para criar uma reserva de emergência.

Com base nesses dados, você vai conseguir definir qual será o valor total de sua reserva de emergência. Seja realista, a quantia deve estar de acordo com os valores que sobram do seu salário.

Qual o tamanho da reserva?

O tamanho da reserva de emergência varia de pessoa para pessoa. O ideal é que ela seja 3 a 6 vezes maior que a sua renda líquida mensal ou a despesa total mensal.

Uma boa dica é pensar no mês em que você mais gasta. O mês mais caro. Janeiro é um bom exemplo, pois é nele em que a maioria das pessoas têm custos adicionais como IPVA, matrícula da escola dos filhos, material escolar etc.

É importante saber que esta recomendação de 3 a 6 meses não é algo definitivo e depende muito da sua profissão. Por exemplo: se você é profissional de tecnologia, que atualmente é um dos mais requisitados no mercado de trabalho, se perder o emprego hoje provavelmente na próxima semana estará novamente empregado.

Já no caso de profissões muito específicas, com poucas empresas no mercado ou muito concorridas, a pessoa certamente terá maior dificuldade em se realocar. Portanto, neste caso, a sua reserva de emergência precisa ser um pouco maior.

Quanto devo poupar por mês?

Lembra que comentamos sobre seus custos fixos por mês? Então, o ideal seria ter pelo menos o valor que consiga cobrir seus gastos por até 6 meses, assim você terá maior tranquilidade e segurança.

O modelo de conta é bem simples:
Se seu salário corresponde a R$3.000 e os gastos giram em torno de R$1.500,00 esse deve ser o valor mínimo para guardar na sua reserva.

• Assalariados: o ideal seria possuir uma reserva de emergência que consiga cobrir seus gastos por pelo menos 6 meses.

• Servidores públicos concursados: a reserva deve cobrir gastos por 3 meses.

• Autônomos/MEI: com renda fixa ou variável, a reserva deve ter o valor suficiente para gastos por no mínimo 12 meses.

#Dica: vale a pena lembrar de revisar o valor de sua reserva a cada 6 meses, já que seu estilo de vida pode ter mudado, avalie também se o montante consegue suprir suas necessidades.

Agora que já conhece mais sobre a reserva de emergência, que tal começar a guardar dinheiro aqui no Santander? E não se esqueça: para ter uma reserva rentável, o ideal é investir esse dinheiro em vez de ficar parado na conta corrente, pois assim ele pode ir crescendo à medida em que você não precise utilizá-lo.

Mas, lembre-se: aplique em investimentos que possibilitem resgate imediato, afinal é a sua reserva de emergência, para momentos de imprevistos.

Caso você não saiba onde investir esse dinheiro, clique aqui e veja nosso conteúdo sobre o tema. Aproveite também e conheça os investimentos que estão disponíveis para você.

Ainda não é cliente Santander? Abra sua conta agora mesmo! É rápido, fácil e 100% digital

Abrir conta