Atualizado em 05-08-2022

por Equipe Santander

Quantas vezes por mês você usa o seu cartão de crédito? Atualmente, muitas pessoas estão deixando de utilizar dinheiro em espécie por conta das facilidades do cartão e por questões de segurança. É realmente uma revolução na forma como lidamos com dinheiro e com gestão financeira.

No entanto, o cartão de crédito pede que você seja atencioso e responsável com os seus gatos, para não faltar dinheiro na hora de pagar a fatura. Se você pensar bem, o cartão é uma forma de empréstimo, onde você empresta do banco na hora da compra e vai pagar lá no fim do mês. Se você pagar o valor por completo, não serão cobrados juros, mas o que acontece se você não tiver toda a quantia necessária?

Existem duas opções: pagar a quantia mínima ou parcelar a fatura.

Se você optar por pagar a quantia mínima da fatura, entrará no crédito rotativo.

Como funciona o crédito rotativo?

Tudo começa quando o banco avalia sua capacidade financeira e estabelece um limite para o uso do seu cartão de crédito. Acredita-se que aquele valor é o máximo que você consegue gastar no mês e arcar o compromisso com o banco.



Como dito anteriormente, se você não conseguir pagar uma fatura e decidir por pagar o valor mínimo, entrará no rotativo. Na verdade, o rotativo é uma solução que sempre acontece quando um cliente paga qualquer quantia menor do que o da fatura integral.

Aquele valor restante, que faltou pagar, se transforma em um empréstimo e com juros. Esse empréstimo é o crédito rotativo.

Em 2017, o crédito rotativo passou por uma mudança e agora só pode ser utilizado pelo cliente por 30 dias. Caso não consiga pagar, será preciso parcelar a fatura ou optar por alguma outra forma de pagamento.

Se precisa de prazo maior para pagar a fatura, temos outras opções de financiamento para você.

Está endividado? Veja como ganhar um fôlego

Se tem algo capaz de tirar o nosso sono, são as dívidas em atraso, já que ninguém gosta de ficar inadimplente. A razão para isso acontecer, na maioria dos casos, é a falta de educação financeira. E a falta de planejamento faz com que pessoas recorram a soluções financeiras que compliquem ainda mais a situação.

Se você se encontra em uma situação parecida, confira os 10 passos para você sair das dívidas.