Atualizado em 15-03-2024

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Acessibilidade

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 12
Aumentar espessura do texto Aa
Preto e amarelo - tema para daltônicos (WCAG 16:44:1)
Preto e branco - tema para daltônicos (WCAG 21:1)
c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00
Na imagem temos um texto à direita com a frase 'Proteção dos idosos'. Já à esquerda, temos uma ilustração que representa uma mulher de cabelo escuro e um homem de cabelo grisalho segurando um guarda-chuva.

No dia a dia, a maioria da população está suscetível aos golpes que são aplicados por pessoas mal-intencionadas. No entanto, há um grupo de pessoas que podem estar ainda mais vulneráveis a essas armadilhas: os idosos.

Os mais velhos estão acessando a internet, as redes sociais e demais ambientes digitais com uma frequência maior, de forma que seja um público que também precisa ser alertado sobre os perigos que costumam existir em determinados cenários.

Com isso, tem se tornado essencial que aqueles que têm familiares ou conhecidos de idade avançada saibam quais são as principais maneiras de como ajudá-los a aumentarem a sua segurança.

A seguir, vamos mostrar para você quais são as maneiras de proteger os idosos de golpes digitais.

4 dicas de como ajudar os idosos a se protegerem de golpes digitais

Nem todos os idosos estão familiarizados com os ambientes digitais, com conversas que acontecem em aplicativos de mensagens e com links falsos, por exemplo. Isso faz com que, se eles forem vítimas de golpes ou de fraudes, os prejuízos sejam tão complicados quanto seria com pessoas que conhecem um pouco melhor sobre internet.

Por causa disso, se você conhece uma pessoa de mais idade, é ideal entender como explicar sobre os riscos dessas situações e a auxiliar este público a reconhecer quando uma situação é golpe.

Confira a seguir as dicas dos nossos especialistas e aproveite para discutir essa questão com os membros da terceira idade.

Dica nº 1 – Explique a importância de ter senhas fortes

Por não serem nativos digitais, há algumas características das boas práticas de segurança online que os idosos costumam desconhecer e uma delas é em relação às senhas de e-mail, perfis de redes sociais, de aplicativo de instituições financeiras e até mesmo do bloqueio de tela do celular.

Dessa forma, é bastante indicado explicar para os seus parentes ou conhecidos sobre a importância de ter uma senha forte, assim como sobre trocá-las periodicamente a fim de impedir que hackers, por exemplo, acessem os seus logins indevidamente.

Dicas para criar senhas fortes:

1. Crie senhas com no mínimo 8 caracteres;

2. Utilize letras maiúsculas e minúsculas, símbolos e números;

3. Não utilize sequências de números ou senhas fáceis de adivinhar como: nome de parente, animal de estimação, datas comemorativas, etc.;

4. Tenha uma senha forte para cada tipo de acesso.

Dica nº 2 – Tenha atualizações automáticas e um antivírus em seus dispositivos

Todo dispositivo deve ter um programa de antivírus instalado, isso porque se trata de um recurso ideal para criar mais uma camada protetora contra todos os tipos de vírus, de forma a identificar possíveis ameaças mesmo antes de serem instaladas.

Além disso, habilite em seus dispositivos como celular, notebook e tablet a função de atualização automática do sistema operacional. Isso proporcionará correções de vulnerabilidades e bugs, aumentando a segurança e melhorando o desempenho dos equipamentos.

Dica nº 3 – Mostre exemplos de conversas fraudulentas

Uma maneira de ajudar os mais velhos a se protegerem de golpes e fraudes é ilustrar a sua conversa sobre esses riscos com exemplos. Isto é, procure na internet ou use situações que aconteceram com conhecidos, como trocas de mensagens com golpistas, SMS falsos, sites suspeitos e outros, para mostrar a forma como essas armadilhas são aplicadas.

Com isso, os idosos terão os meios ideais para compreenderem como são as situações típicas dos golpes, o que devem considerar nas características das mensagens ou imagens, entre outros fatores que serão possíveis de auxiliar em sua segurança.

Dica nº 4 – Converse sobre desconfiar de situações envolvendo bancos

Por fim, mas não menos importante, leve para a discussão comentários sobre os golpes que são aplicados quando os criminosos se passam por funcionários de instituições financeiras.

Como se trata de um público que está aprendendo a mexer com aplicativos e seus recursos, conhecer quando não é o banco que está enviando a mensagem ou solicitando a confirmação de uma compra, por exemplo, pode fazer a diferença na segurança em ambientes digitais.

Se for alguém que seja correntista do Santander, é válido dizer que nós:

- Não entramos em contato por ligação ou SMS pedindo que realize uma transação para cancelar uma compra ou Pix não reconhecido em sua conta, e nem que vá ao caixa eletrônico para fazer qualquer outro procedimento de cancelamento;

- Não ligamos pedindo senhas, ID Santander e códigos de validação;

- Não enviamos funcionários ou entregadores em seu endereço para retirar o cartão;

| Leia também: o que é e como acontece o Golpe da Ajuda.

Seja com os idosos ou com pessoas de qualquer idade, segurança é coisa séria. Para ajudar você a ficar seguro na maioria das situações cotidianas, aqui no Blog Santander não faltam conteúdos completos sobre golpes e fraudes. Você também pode consultar a nossa página sobre como se proteger para encontrar ainda mais informações.

Leia sobre segurança

E se você for vítima de golpe, entre em contato com a nossa Central de Atendimento (4004-3535) para reportar o ocorrido.

 

Avalie esse artigo