Atualizado em 23-08-2023

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Acessibilidade

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 12
Aumentar espessura do texto A+
Aumento de espessura do texto Aa
Preto e amarelo - tema para daltônicos (WCAG 16:44:1)
Preto e branco - tema para daltônicos (WCAG 21:1)
c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00
Banner do artigo Viver de Renda com o texto: Viver de renda é o seu sonho?

Investidores ou não, muitos brasileiros têm o sonho de viver de renda, ou seja, acumular patrimônio que permita receber um valor mensal suficiente para arcar com todos os seus custos, sem obrigatoriedade de ter um emprego formal. Você já pensou nessa possibilidade?

Pois saiba que isso é possível sim! Mas atenção: é uma tarefa de longo prazo. Para alcançar essa realidade, é preciso construir um patrimônio significativo ao longo dos anos e investi-lo em oportunidades assertivas.

Preparamos três dicas iniciais para a sua jornada em busca desse objetivo: viver de renda. Continue a leitura e aprenda.

1. Pague as dívidas e faça um planejamento financeiro

Antes de começar com as dicas, você tem uma pequena ‘tarefa’: organizar a casa. Isso, na verdade, é algo que deve ser feito sempre, independente do foco que o investimento terá.

Comece verificando se há alguma dívida aberta em seu nome, e identifique se trata-se de algo que deveria quitar o mais rápido possível – por incrível que pareça existem dívidas que podem até ser úteis se planejadas com responsabilidade. Se houverem dívidas atrasadas, seja realista e busque uma renegociação com os credores, se for possível. 

Se não for possível renegociar, planeje dentro do seu orçamento para quitá-la o mais rápido possível, pois isso te ajudará a se planejar melhor financeiramente.

Faça um plano para entender a sua realidade financeira, e onde será possível cortar gastos.

São atitudes pequenas, mas que quando colocadas em prática permitirão que você tome o controle da sua vida financeira, e se planejar com maior clareza.

Depois de organizar as contas, chegou a hora de fazer um planejamento financeiro mais estratégico, com o objetivo de entender as suas finanças para poder aplicar uma quantia todos os meses. Pois é, para viver de renda, você vai ter que administrar melhor seu dinheiro, construindo patrimônio, poupando e investindo.

2. Calcule o valor do patrimônio necessário

Vamos voltar para a essência do que significa viver de renda: todos os meses, os seus investimentos vão te dar um retorno, e dessa quantia se pode tirar o suficiente para pagar seus gastos. Não sei se você reparou, mas a etapa de anterior, sobre se organizar, é essencial até mesmo na hora de definir o quanto precisa ser a renda que quer ter no futuro.

Muitas pessoas não têm ideia de quanto precisariam para viver com tranquilidade financeira, sem passar por sustos, com o suficiente para pagar por saúde, lazer, moradia e outros pontos que considerem importantes. E especialmente para quem deseja atingir um objetivo financeiro, isso precisa mudar.

Para termos um ponto de partida, suponha que R$ 5 mil mensais sejam o suficiente para arcar com todos estes custos. Agora vamos descobrir qual o patrimônio investido para ter esse retorno.

Vamos considerar 6% ao ano uma rentabilidade realista e superior à inflação. O cálculo é esse: renda mensal investida multiplicada por 12 para ter a sua renda anual. Divida o valor por 0,06 (os 6% de rentabilidade que citamos). O resultado será seu patrimônio ideal.

Ou seja: (R$ 5 mil x 12) / 0,06 = R$ 1 milhão.

Com R$ 1 milhão investidos, você terá R$ 5 mil de retorno todos os meses.

Mas atenção: esse valor é variável, pois a inflação atual vai influenciar no resultado.

3. Onde investir para viver de renda?

Agora você já sabe qual a quantia necessária ter, mas o que fazer com ela? Devo investir em renda fixa ou em ações? A verdade é que tudo depende, principalmente do seu perfil de investidor. Caso não saiba o seu ou queira revisar, faça através dos nossos Canais digitais. É muito importante para que você determine onde quer investir e para que possamos te trazer as melhores soluções.

O mercado financeiro separa os investidores em cinco diferentes tipos, levando em conta seus objetivos e comportamentos. Veja o vídeo abaixo e conheça cada um deles:

Nem todos nós estamos dispostos a correr riscos, mas as aplicações menos conservadoras podem ajudar no acúmulo de recursos, já que possuem um potencial de retorno maior ao longo do tempo – apesar dos seus altos e baixos mais frequentes.

Entre as alternativas mais comuns para os investidores que desejam viver de renda estão:

• Tesouro Direto

O primeiro investimento é de Renda Fixa, para aquele investidor, que tem um perfil mais conservador e que gosta de proteger o seu dinheiro.

Ao investir no Tesouro Direto, você empresta dinheiro ao Governo em troca de receber o valor investido mais juros. Existem diferentes tipos de títulos com rentabilidades distintas no Tesouro, porém, alguns Títulos prefixados e Títulos IPCA possuem pagamentos semestrais dos rendimentos. No Tesouro IPCA, os rendimentos estão atrelados à variação do IPCA (principal índice de inflação no Brasil) e a uma taxa prefixada. Já os títulos prefixados possuem sua rentabilidade calculada a partir de uma taxa prefixada de juros.

• Fundos Imobiliários, Ações e/ou dividendos.

Aqui o foco está na rentabilidade expressiva no longo prazo. Aplicar em ativos negociados na bolsa (como ações e fundos imobiliários, por exemplo) é uma opção menos conservadora para ter possibilidade de maior rentabilidade mensal. Ao comprar uma ação, você adquire parte de uma empresa. Se a empresa cresce a sua ação valoriza.

Caso queira investir neste mercado e não saiba por onde começar, veja o que os analistas da Santander Corretora estão falando sobre o mercado e os produtos. Isso com certeza vai te ajudar a tomar as melhores decisões. Para saber mais, acesse o Home Broker da Santander Corretora e veja os relatórios e análises dos nossos especialistas.

Outra forma ter ganhos é através dos dividendos. Funciona assim: as empresas que têm lucro distribuem os ganhos com os acionistas em forma de dividendos. Esse pagamento pode ser mensal, semestral ou anual. Mas atenção na empresa que você está investindo, pois ela precisa ter resultados positivos para realizar a distribuição de dividendos. As empresas sempre comunicam o mercado sobre o pagamento de seus dividendos, para que o acionista saiba e se planeje melhor.

Dica extra: invista com segurança

Agora você já sabe os primeiros passos de como começar a sua jornada em busca de uma renda passiva mensal, que vai te ajudar nessa busca pela liberdade financeira. Neste artigo, você recebeu uma boa quantidade de informações, mas lembre-se que o universo dos investimentos vive em constante mudança, então siga buscando cada vez mais conhecimento.

Quero investir

Sabemos que é um assunto complexo, por isso sugerimos que busque sempre investir com uma empresa segura, como o Santander, um dos bancos mais sólidos do Brasil e eleitos o melhor banco para se investir em 2021, pela FGV.

Avalie esse artigo