Santander | Risco Socioambiental

Risco Socioambiental

Avaliamos aspectos sociais e ambientais na aceitação de clientes e na concessão de crédito a projetos e empresas de setores considerados críticos.

Em 2018, estendemos essa análise às empresas de médio porte atendidas pelo Varejo, somando 1.895 empresas avaliadas

Dobramos o número avaliações no setor de Atacado, atingindo 4.640 empresas que tiveram seus riscos socioambientais analisados no ano de 2018.

Desde que este trabalho foi iniciado, em 2002, foram realizadas mais de 30 mil análises de clientes sob a ótica social e ambiental.

O que fazemos

Adotamos parâmetros sociais e ambientais na análise de risco para a concessão de crédito a projetos e empresas, influenciando nossos clientes a adotarem boas práticas corporativas de gestão socioambiental. Iniciamos esse trabalho em 2002 e, desde então, temos expandido a avaliação do risco socioambiental em nossos negócios.   Desenvolvemos um processo próprio de análise, formalizado em nossa Política de Risco Socioambiental. A avaliação é feita por profissionais especializados no tema e pode resultar em condições ou restrições para as empresas operarem com o Banco. No caso de clientes com faturamento acima de R$ 200 milhões, a análise também pode influenciar o rating de crédito, afetando taxas, limites, prazos e exigências de garantias.

Segmentos avaliados

A análise de risco socioambiental é aplicada nas seguintes situações

Aceitação e manutenção de clientes

A área de Compliance, com apoio do time de Risco Socioambiental, analisa potenciais riscos sociais e ambientais na aceitação e manutenção de clientes pessoa jurídica do segmento Atacado (faturamento acima de R$ 200 milhões/ano).

Crédito a empresas do Varejo e Atacado

Em 2018, a análise de risco socioambiental foi estendida a empresas de médio porte atendidas por nossa área de Varejo, que chamamos internamente de Segmento Empresas 3. Companhias com faturamento entre R$ 20 milhões e R$ 200 milhões, que fazem parte de 14 setores de atenção (abaixo) e têm risco ou limite de crédito superior a R$ 5 milhões, passaram a ter seus potenciais impactos analisados.

Desde 2002 fazemos essa mesma avaliação em empresas do Atacado, para clientes com risco de crédito/limites iguais ou maiores que R$ 5 milhões e que fazem parte dos 14 setores de atenção. São eles:

1. Prospecção, exploração de petróleo ou gás natural; distribuidores e postos de combustíveis
2. Mineração
3. Metalurgia, siderurgia, ferro gusa e galvanoplastia
4. Madeireira, serraria, desdobramento, movelaria e comércio
5. Geração, transmissão e distribuição de energia
6. Indústria
7. Agricultura e pecuária
8. Hospitais e laboratórios
9. Saneamento, captação e tratamento de água e esgoto, coleta, tratamento, reciclagem e disposição de resíduos sólidos domésticos, industriais e hospitalares
10. Transportes, depósitos e terminais, exceto de passageiros
11. Construção civil
12. Construtoras e incorporadoras
13. Pesca e aquicultura
14. Uso da diversidade biológica, silvicultura e subprodutos florestais

A abordagem é inclusiva: quando são identificados problemas, o cliente é orientado a solucioná-los e pode contar com as linhas de financiamentos socioambientais oferecidas pelo banco.

Financiamento a projetos (Project Finance)

Somos signatários dos Princípios do Equador e empregamos as diretrizes desse framework internacional de risco socioambiental para instituições financeiras no processo de análise de financiamentos a grandes projetos, como a construção de hidrelétricas e rodovias.

Imóveis dados em garantia

Imóveis utilizados como garantia em operações de crédito são submetidos à análise de risco socioambiental. A verificação inclui possíveis contaminações de solo e água subterrânea por substâncias tóxicas. Em 2018 ampliamos essa análise, somando 469 verificações efetuadas, 22% a mais que no ano anterior.

Como funciona

Conheça as principais etapas de nosso processo de avaliação de risco socioambiental:

1

Questionário

2

Análise

3

Avaliações periódicas

4

Situações específicas

As empresas enquadradas nos segmentos acima devem responder ao Questionário Socioambiental , utilizado para levantar informações sobre as práticas de gestão ambiental e de segurança e saúde do trabalho dos nossos clientes.

Risco socioambiental na prática

Veja exemplos de casos em que aplicamos, em 2018, os Princípios do Equador e nossa metodologia de análise de risco socioambiental.
  1. Foi identificado que um cliente em prospecção do setor madeireiro utilizava madeira nativa em seus produtos e não possuia certificação FSC. Em função da não conformidade com a Política de Risco Socioambiental, entre outros motivos, o Santander não deu início ao relacionamento com o cliente.
  2. Na análise do projeto de uma Linha de Transmissão (LT) próxima a uma área de Comunidade Remanescente de Quilombo, foi identificado que a Fundação Cultural Palmares não havia sido consultada no processo de licenciamento ambiental. Como condição para aprovar a operação de crédito, o cliente formalizou consulta junto à Fundação, que deu a sua anuência para o projeto.
  3. Foi identificada, em um projeto de cliente do setor agropecuário, uma possível sobreposição da área que seria beneficiada com uma Unidade de Conservação. Aprovamos a operação após o cliente nos apresentar um documento formal da Fundação Florestal demonstrando que não há sobreposição, mas sim que as áreas são confrontantes.

Saiba mais

Como funciona um banco

Entenda qual é o papel do banco, como ele intermedia as relações financeiras e colabora para o desenvolvimento do País.

Riscos monitorados

Neste infográfico você encontra uma visão consolidada dos principais riscos que monitoramos e o que fazemos para mitiga-lo.