Atualizado em 25-04-2022

por Equipe Santander

Se você estiver com dificuldades para colocar as contas em dia, a renegociação de dívidas é uma ótima oportunidade para quitar todos os débitos pendentes, além de evitar uma possível inclusão do nome nos birôs de crédito, como o SPC e Serasa.

Sabemos que imprevistos acontecem e podem surgir problemas financeiros que gerem atraso no pagamento das parcelas. Para explicar como proceder nesses casos, preparamos esse conteúdo para você.

Boa leitura!

O que acontece em caso de atraso no pagamento?

Para começar, é preciso entender o que acontece em caso de atrasos no pagamento das parcelas da sua renegociação. No momento da contratação é definido o melhor dia para o pagamento do boleto de acordo com o planejamento financeiro do contratante. Caso o valor não seja pago até a data de vencimento, o contrato é quebrado.

Isso significa que todas as condições estabelecidas serão perdidas automaticamente, cancelando a validade do acordo. Por isso, a empresa credora poderá retornar as cobranças na forma originalmente contratada, sem os descontos e prazos concedidos na renegociação.

É importante ressaltar também que, quando se contrata um acordo de renegociação, após 5 dias úteis do primeiro pagamento da parcela, o nome do contratante será retirado dos cadastros de proteção ao crédito. Em caso de atraso no pagamento da parcela, o CPF voltará a estar negativado nos cadastros de proteção ao crédito, restringindo novas solicitações de empréstimos ou financiamentos.

E o que devo fazer caso não pague uma parcela?

A grande questão é o que fazer no caso de atraso no pagamento, quais são os passos que tenho que seguir? Para esclarecer essas dúvidas, separamos um passo a passo do que fazer nesses casos.

Entre em contato com a instituição financeira

O primeiro e mais importante passo é entrar em contato com a instituição em que você realizou a contratação da renegociação para buscar novas possibilidades de evitar que o contrato seja quebrado, seja através de um novo acordo ou até mesmo para estabelecer um novo prazo de pagamento.

Muitas empresas aceitam o pagamento da parcela após a data de vencimento, mas não são todas. E nesses casos, entenda as ofertas que estão disponíveis para você, com novos prazos, parcelas, taxas de juros etc.

Mas lembre-se, caso você realize um novo contrato, organize-se financeiramente de forma certa, com prazos, valores, quantidade de parcelas a serem pagas em cada mês, para evitar que novos problemas aconteçam no futuro.

Faça uma análise do que aconteceu

Entender o que motivou o atraso no pagamento é fundamental para você seguir com os próximos passos e evitar novas inadimplências, seja por esquecimento, imprevistos financeiros, gastos urgentes ou até mesmo pelo prazo não estar mais de acordo com a sua realidade.

Por isso, sente e reveja tudo o que aconteceu e encontre o problema principal que o levou até isso. Caso não tenha conseguido honrar o pagamento por conta do alto valor da parcela, por exemplo, faça um novo acordo em que a prestação seja menor. Se for por causa da data de vencimento que está atrapalhando sua organização, sugira uma alteração do vencimento. Sempre busque alternativas na nova negociação para que ela se adapte da maneira mais confortável a sua rotina financeira mensal.

Planeje-se para os pagamentos

Se o seu orçamento estiver apertado, procure identificar itens que podem ser cortados nos gastos domésticos ou obter uma renda extra. Dar prioridade ao pagamento é a melhor estratégia para o cumprir a tempo. Veja as seguintes sugestões para evitar a quebra deste acordo:

  • Escolha uma data de pagamento próxima do dia em que é pago para evitar gastar o dinheiro;

  • Durante a renegociação, evite assumir novas dívidas, especialmente empréstimos a longo prazo. Evite ter de escolher entre as parcelas e complicar o seu orçamento desta forma.

  • Utilize um calendário ou outro lembrete para lhe lembrar o prazo de pagamento, pois muitas vezes, o incumprimento do acordo deve-se ao esquecimento e não à falta de fundos;

  • Se a sua situação financeira se deteriorar ao ponto de sentir que poderá não conseguir pagar a dívida, tente cortar outras despesas ou negociar um novo prazo de pagamento com um fornecedor diferente;

Agora que você já sabe o que fazer em caso de atrasos nas parcelas, fique de olho nos prazos estabelecidos em um contrato e evite que o seu CPF retorne aos birôs de crédito, prejudicando ainda mais sua vida financeira.

E se você estiver precisando de fôlego extra para 2022, saiba que com o Santander você pode pular até 2 parcelas do seu contrato de crédito pessoal. Quer saber mais? Venha conhecer nosso programa do Pula Parcela.

Saiba mais

Todo conteúdo desta publicação foi tirado das fontes aqui informadas. Esse blog possui caráter informativo, não representando a opinião, recomendação ou posicionamento formal do Santander ou das empresas de seu conglomerado.

Fonte: SERASA