Atualizado em Fri Aug 11 13:47:34 GMT-03:00 2023

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00

Quem já desejou juntar dinheiro para conseguir realizar uma viagem, comprar um carro ou até mesmo iniciar o financiamento da casa própria, sabe que essa não é uma tarefa fácil.

Muita gente se esforça para conseguir organizar as finanças, deixar as contas em dia e ainda fazer sobrar um dinheiro no fim do mês.

Quem consegue se planejar, muitas vezes acaba poupando e deixa o dinheiro guardado. Já outros preferem logo investir, mas o que muita gente ainda se pergunta é se existe diferença entre esses dois termos.

Se você tem dúvidas sobre o assunto e não sabe como essa diferença pode impactar na sua saúde financeira, confira o conteúdo abaixo e veja o que fazer para alcançar seus objetivos.

Entenda a diferença entre poupar e investir

Apesar dos termos se destinarem a melhora das suas finanças, os seus objetivos e significados são bem diferentes.

Eles fazem parte de algumas etapas da sua jornada de construção em busca da independência financeira e, por isso, podem ser utilizados em momentos diferentes da sua vida.

Afinal, quando uma pessoa investe, ela já está poupando. Porém, quando ela só poupa o dinheiro, ele fica parado desvalorizando e diminuindo o seu poder de compra por conta da inflação.

Mas, como saber quando devo poupar ou investir?

Antes de explicarmos quando é bom poupar e quando é hora de investir, vamos te explicar a diferença entre os termos.

Poupar significa economizar. Para isso, é preciso uma mudança de comportamento na forma de administrar as despesas. Afinal, para que você possa ter alguma “sobra”, os gastos devem ser inferiores à sua renda mensal.

investir, é quando o dinheiro que você economizou é aplicado e fica rendendo em algum ativo financeiro que você escolheu.

Normalmente, investir é o próximo passo após você conseguir poupar, pois quando você já conseguiu economizar é importante construir uma reserva de emergência para imprevistos (obra, carro quebrou, problema de saúde).

Assim, fica mais fácil de você identificar oportunidades para destinar o seu dinheiro, sem comprometer o orçamento.

| Veja também: Como fazer uma reserva de emergência?

Como poupar?

A gente sabe que nem sempre é possível reservar uma sobra da renda mensal, mas com planejamento dá para fazer.

O primeiro passo é entender sua realidade financeira: o quanto você ganha, quais suas despesas mensais fixas e variáveis, se você possui dívidas em aberto, quanto pretende gastar nas datas comemorativa ao longo do ano etc.

Para isso, você precisa listar as tarefas que irão te ajudar a chegar lá. Por exemplo:

- Meta: viajar para fora do País em junho de 2023;

- Minha renda mensal: R$ 4.000;

- Minhas despesas fixas: R$ 2.500;

- Minhas despesas variáveis: R$ 400,00;

- Custo de alimentação: R$ 800,00;

- Sobra: R$ 300,00;

Com o objetivo traçado e os gastos desenhados, fica mais fácil entender os prazos para alcançar essa meta.

Por exemplo, para viajar fora do País até junho de 2023, quanto tempo você vai precisar economizar para obter esse valor? Se for possível realizar seu sonho até junho/23 siga o planejamento e procure destinos que cabem no seu bolso.

| Leia também: Como viajar sem estourar o orçamento?

Caso não seja possível, projete o tempo necessário para conseguir atingir o objetivo definido. E o mais importante, não desista desse processo. Além dele te ajudar a realizar seus sonhos, vai te auxiliar no controle financeiro, melhorando a sua relação com o dinheiro.

E para se tornar um investidor?

Bom, para quem ainda não investe, esse universo pode parecer um bicho de sete cabeças, mas aqui no Blog, a gente tem diferentes conteúdos que te mostram que começar a investir é bem mais tranquilo do que se pensa. Mas, é necessário entender quais os riscos atrelados.

Por exemplo, não é recomendado investir sem antes saber qual é o seu Perfil de Investidor, sem ter uma reserva de emergência, sem entender o seu apetite para riscos, qual o tempo que você pretender investir em um ativo (curto, médio, longo prazo), o seu objetivo com determinado investimento (facilidade para resgatar, ganho rápido, futuro tranquilo), entre outros aspectos.

Só após analisar o cenário e conhecer às suas necessidades financeiras, que você deve investir seu dinheiro de acordo com seu momento de vida.

Além disso, aqui no Santander, nossos clientes contam com as nossas Carteiras Modelos, onde nossos especialistas selecionam as melhores combinações de produtos em diversas classes de ativos (CDBs, LCI, LCA, Tesouro Selic, Multimercados) com o objetivo de buscar rentabilidade diferenciada, sempre levando em consideração o seu perfil e necessidades atuais.

Ficou interessado? Conheça as opções que temos disponíveis para investir.

Ver tipos de investimentos

E se você ainda não é cliente Santander, que tal abrir sua conta agora, em poucos minutos e sem sair de casa?

Abrir conta

Agora que você já sabe a diferença entre os termos, vai ficar mais fácil definir qual deles é mais adequado ao seu momento de vida atual. Boa sorte!

Avalie esse artigo