Atualizado em 10-12-2021

por Equipe Santander

Dívidas em atraso, aumento de juros e inadimplência. Essa é muitas vezes a razão que tira o sono do brasileiro, em muitos casos resultado de uma falta de planejamento financeiro. Na euforia em busca de solução, muitas pessoas recorrem a créditos que complicam ainda mais a situação.

Por isso separamos alguns passos para ajudar a reorganizar a vida financeira e planejar o futuro sem medidas mirabolantes, mas sim muito possíveis de saírem do papel. Confira:

1. Anote seus gastos

Primeiro de tudo você precisa saber como está a sua vida financeira agora, neste exato momento.

Mapeie tudo, separe seus boletos, carnês ou qualquer tipo de conta. Faça um levantamento dos seus gastos fixos, das dívidas e se existe previsão futura para novos gastos.

Tenha tudo em mãos para o próximo passo.

2. Organize suas dívidas no papel

Agora é organizar de uma maneira fácil para visualizar cada conta. Como? Anotando em um papel. Faça uma lista, daquelas simples, com cada nome e valor em uma linha, uma espécie da planilha. Se preferir, anote em algum aplicativo de organização financeira, tabela no excel ou caderno.

De um lado, some o total de gastos. Do outro, inclua o quanto tem de recebíveis por mês (salário, trabalhos informais, como freelancers, aposentadoria ou outros).

Veja quanto sobra ou falta no orçamento mensal.

3. Faça uma reunião em família

É importante passar por essa etapa com o apoio dos familiares. Se vocês têm gastos divididos ou não, eles podem ajudar a encontrar uma solução em conjunto ou até quem sabe contribuem com algum valor para somar mais renda e quitar as dívidas.

4. Corte gastos sem necessidade

Aquele cafezinho diário na lanchonete da esquina, promoções que parecem um bom negócio, mas que só acumulam coisas na sua casa e dobram as dívidas podem ser cortados do orçamento e aliviar nesse momento de reeducação financeira.

Também é possível repensar em pequenas economias, como optar por alimentos mais baratos no supermercado, não deixar todas as luzes de casa acesas, passar menos tempo no banho e outras atitudes diárias que podem resultar em diminuição das contas no final do mês. E claro, deixe a família avisada sobre essas mudanças.

5. Elimine as dívidas com juros altos

Você tem uma dívida mais recente, mas que tem juros mais altos que as antigas? Negocie primeiro essa para não virar uma bola de neve. Os juros são os vilões na hora de reorganizar a vida financeira e muitas vezes, em poucos dias, ficam fora do controle.

Faça esse levantamento e organize uma espécie de passo a passo com a relação de quais pendências devem ser eliminadas, por ordem, assim é mais fácil quitar dívidas que podem dar mais “dores de cabeça” no futuro.

6. Negocie com quem deve

Procure as instituições que você tem débito, como bancos e lojas. Faça uma proposta de negociação e exponha a sua situação atual. Veja se as condições oferecidas cabem no seu orçamento e dê andamento na regularização das dívidas.

7. Tenha metas