Atualizado em 29-08-2023

por Equipe Santander

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Acessibilidade

c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 12
Aumento de espessura do texto Aa
Preto e amarelo - tema para daltônicos (WCAG 16:44:1)
Preto e branco - tema para daltônicos (WCAG 21:1)
c. concepts / client-service/Bank and Counter/simple credit Copy 11

Modo escuro

0:00

 / 

0:00

Nos últimos anos, o termo ‘inflação’ foi escutado em todos os cantos do Brasil. Mas o que é inflação? Nada mais é do que um aumento generalizado dos preços de bens e serviços em uma economia. O aumento dos preços corresponde, consequentemente, a uma redução do poder de compra dos cidadãos. Em outras palavras, a quantia que você tinha há dois anos, em um cenário com inflação, não consegue comprar as mesmas coisas em 2023 e assim por diante.

De fevereiro de 2017 a fevereiro de 2023, para termos um exemplo, o Real perdeu mais de 35% do seu poder de compra. É muito, hein?

Se você tem dinheiro parado no banco há muitos anos, sem estar investido, saiba que pode estar perdendo valor, apesar da quantia estar guardada com segurança em uma instituição íntegra.

Com esse contexto, é preciso pensar em alternativas eficientes de se proteger e buscar investimentos que rendam acima da inflação. E é isso que vamos pensar no texto a seguir.

Como se proteger da inflação?

No mundo dos investimentos, exista a expressão ‘ganho real’ que trata justamente dos ganhos obtidos acima da inflação. E o entendimento desse termo é bem simples: ganho real é a rentabilidade de determinado investimento após subtrair o valor da inflação do mesmo período. Vamos pensar em um exemplo? Se você faturou 5% e a inflação acompanhou esse crescimento, também com taxa de 5%, o seu ganho (ou poder de compra) permaneceu o mesmo. Ou seja, seu ganho real foi zero. Com isso, concluímos que para saber se um investimento foi frutífero ou não, é preciso colocar na conta o impacto da inflação no período analisado.

E a pergunta que você deve estar fazendo é: como ter rentabilidade superior a inflação? Bom, se você pretende fazer isso com segurança e previsibilidade, as opções mais indicadas são os investimentos em Renda Fixa. Dentro desse espectro, existem diversas possibilidades e nós vamos ver algumas mais adiante.

3 investimentos para render acima da inflação

1. Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA, que é um dos três títulos do Tesouro Direto, é um dos investimentos mais conhecidos pelos brasileiros. Ele funciona através da aquisição, por parte do investidor, de títulos públicos emitidos pelo governo. Em poucas palavras, você vai emprestar dinheiro para o governo se financiar e, em contrapartida, vai receber a quantia de volta futuramente com adição de juros.

Por que é considerado um investimento seguro? Você emprestará dinheiro para o governo e isso significa que o risco de inadimplência é muito baixo. Mas isso não significa que ele será livre de risco, pois a rentabilidade só é garantida se o título for levado até o vencimento.

Vale lembrar também que existem três títulos diferentes no Tesouro Direto, porém, o Tesouro IPCA é o mais indicado para se proteger da inflação, pois a rentabilidade será calculada com base no índice oficial da inflação.

2. Debêntures

As debêntures são títulos de dívida de médio ou longo prazos, ou seja, a partir de dois anos emitidos por empresas privadas, com exceção de bancos.

As empresas emitem esses títulos de forma estratégica para arrecadar capital para a realização de projetos. Os investidores, em contrapartida, vão ter retorno com juros.

Na maioria das vezes, as debêntures são investimentos de Renda Fixa, porém existem também as híbridas, que possuem um componente pós-fixado e um prefixado. O resultado disso é um investimento que remunera a taxa prefixada mais a correção da inflação. Em outras palavras, seu dinheiro seguirá rendendo e seu poder de compra crescendo.

Sempre lembrando que a taxa contratada no momento da aplicação só é garantida se o valor for levado até o vencimento, caso o investidor precise resgatar antes, o valor será calculado à mercado.

3. Certificado de Operações Estruturadas (COE)

Por último, uma opção que pode não ser tão conhecida pelo público geral, mas que vem ganhando força no Brasil, o Certificado de Operações Estruturadas (COE), um ativo que une a segurança da renda fixa com a rentabilidade de investimentos de renda variável, como as ações, moedas e commodities.

Essa união parece e é positiva, pois se for feita com bom planejamento, como aqui no Santander, há uma boa possibilidade de ganhos reais, com boa rentabilidade e mantendo a segurança, já que você investirá em ativos de risco mais elevado, com aplicações negociadas na Bolsa de Valores, ao mesmo tempo que terá uma rentabilidade típica de renda fixa.

Além disso, é para você que deseja diversificar os seus investimentos e pode deixar o dinheiro aplicado durante todo o período da operação.

Então a principal vantagem dos Certificados de Operações Estruturadas é oferecer maiores lucros sem a necessidade de grande exposição a altos riscos. Mas tem mais: o dinheiro investido fica protegido mesmo quando o momento do mercado está adverso, com a ressalva de que também é necessário levar o investimento até o vencimento.

Os COEs são tributados de acordo com o tempo da aplicação de forma regressiva. Em outras palavras, quanto mais tempo a quantia estiver investida, menor a fatia deverá ser paga de Imposto de Renda.

Invista com segurança

Investir pelo Santander é ter um banco seguro e sólido para te atender no mundo de um jeito rentável, com taxa zero de custódia de produtos negociados na Bolsa e com investimentos adequados para todos os perfis de investidor.

Quero investir

Avalie esse artigo