Santander | encontro de fornecedores

Encontro de Fornecedores Santander 2019

Banco reúne prestadores de serviços para debater responsabilidades face às novas leis de proteção de dados e segurança cibernética

Todos os anos, o Santander convida seus fornecedores para debater temas relevantes para a sustentabilidade dos negócios. Em 2019, a discussão foi centrada nos impactos e responsabilidades do Banco e seus parceiros face às novas leis que regulam a proteção de dados dos cidadãos brasileiros e a segurança cibernética.

O encontro aconteceu em 10 de abril, em São Paulo (SP), e contou com a presença de quase 200 executivos e profissionais de 132 empresas provedoras de serviços, além de 30 funcionários do Grupo Santander. No centro dos debates, a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nº 13.709) e a Resolução 4.658 do Banco Central, ambas publicadas em 2018.

A Lei Geral de Proteção e Dados alterou o Marco Civil da Internet, de 2014, ampliando as responsabilidades de quem manuseia dados pessoais em canais eletrônicos. Já a Resolução do Banco Central dispõe sobre a política de segurança cibernética e as regras para contratação de serviços de dados por parte das instituições financeiras.

“O banco está empenhado em resolver uma questão bastante complexa de maneira propositiva. Abrir a casa, trazer informação e se colocar à disposição para fazer junto é um divisor de águas no relacionamento entre empresas e fornecedores. Nunca vi isso em outra organização”, comenta Marcos Polatti da Silva, diretor Jurídico da TransUnion no Brasil. “O resultado foi muito bom para todos nós”.

Compartilhando desafios

Durante um dia inteiro, executivos do Santander compartilharam conhecimentos sobre riscos e obrigações legais, além de relatarem como o Banco tem se preparado para garantir a total aderência de seus fornecedores aos novos requerimentos.

A abertura do encontro foi feita por Ricardo Pasqualini, superintendente de Fornecedores & Parcerias do Santander, seguida da apresentação “Banco Responsável: Propósito, Missão e Desafios”, feita pela superintendente executiva de Sustentabilidade, Amália Sangüeza Pardo.

Gustavo Jerez, superintendente de Riscos Operacionais e Tecnológicos explicou a atuação da área de Riscos do Banco e as principais responsabilidades dos fornecedores na gestão de riscos. Rony Vainzof, sócio do escritório de advocacia Ópice Blum, detalhou os impactos da Lei Geral de Proteção de Dados e da nova resolução do Bacen para gestores do Santander e fornecedores.

Engajamento

Florence Terada, gerente da área de Data Officer, ministrou a palestra “Proteção de dados: ações junto aos fornecedores”. Eduardo Gonçalves e Marcelo Copati, do CISO (Chief Information Security Officer) do Santander, apresentaram os resultados da avaliação de segurança da informação em fornecedores feita pelo Banco. “Foi uma excelente oportunidade de interação e troca de conhecimento com empresas de diferentes segmentos de atuação”, avalia Florence.

Encerrando as atividades da manhã, foi feito um reconhecimento aos parceiros que obtiveram a melhor nota de avaliação de satisfação pelo serviço prestado e, também, menor score de risco durante 2018.

No período da tarde, os participantes puderam aprofundar o assunto em três workshops sobre segurança da informação, proteção de dados e processos de compras. Nessas oficinas, realizadas por especialistas do Santander, foram feitas recomendações para que o Banco e seus fornecedores evoluam no controle desses riscos.