Santander

Inclusão por meio da equoterapia

Em Vacaria (RS), projeto apoiado pelo Amigo de Valor melhora a vida de meninas e meninos com deficiência e necessidades especiais

08/10/2019 

Fotos: Passo Amigo / divulgação

Toda sexta-feira de manhã, Joaquim Badalotti, de 9 anos, sai de casa empolgado para encontrar seu amigo Regalo. Isabelli de Lima Barbosa, também de 9 anos, vai na maior alegria encontrar Domingueira. Regalo e Domingueira são um cavalo e uma égua do projeto de equoterapia da organização não governamental Passo Amigo, que tem feito toda a diferença na vida de crianças com deficiência e necessidades especiais em Vacaria (RS).

Joaquim convive com o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e com um déficit na coordenação motora, relacionada ao seu parto prematuro. Começou a equoterapia em 2017 e, de lá para cá, obteve avanços incríveis, segundo sua mãe, Maitê Monteiro Badalotti. “Ele teve uma melhora significativa na parte motora e na concentração na escola. Em casa, está menos ansioso e irritado. Aprendeu a esperar.”

Isabelli tem mielomeningocele, uma malformação congênita na coluna que a impede de caminhar. Frequenta a ONG Passo Amigo desde 2014 e, em cinco anos, se transformou em uma menina ágil e cheia de energia. “Ela ganhou equilíbrio e passou a engatinhar com velocidade. No chão, é um foguetinho”, conta sua mãe, Bruna de Lima Barbosa.

A menina Isabelli de Lima Barbosa, de 9 anos, e a égua Domingueira.

Mais qualidade de vida

Como eles, outras 68 crianças são atendidas atualmente pelo projeto. Elas são encaminhadas à ONG por profissionais das áreas de saúde e educação da rede pública do município, levadas pelos pais ou pela instituição de acolhimento da cidade.

São meninos e meninas acima de dois anos com dificuldades cognitivas, Síndrome de Down, paralisia cerebral, autismo, deficiência visual, síndromes raras e problemas comportamentais, entre outros. Alguns possuem múltiplas deficiências. Não há um limite de idade para serem aceitos no projeto. A única restrição é a de peso, que não pode ultrapassar 20% do peso do animal.

Frequentando as atividades, obtêm ganhos em termos físicos, psicológicos, de aprendizagem e socialização. “Às vezes, chegam até nós por dificuldades motoras, mas a melhora se reflete também no comportamento e na linguagem” exemplifica a coordenadora da Passo Amigo, Juliana Biazus da Silva. Isso porque a equoterapia trabalha o praticante de forma global, de acordo com ela. “Montar e lidar com o animal proporciona força, tônus muscular, ritmo, equilíbrio, coordenação motora, postura e flexibilidade. Também estimula as funções cognitivas, desafiando a atenção, a memória e a noção espacial”.

Todos esses benefícios são observados, na prática, por Taíse Girotto, psicóloga da Casa Abrigo Divina Providência. A instituição tem 10 crianças e adolescentes fazendo a atividade de equoterapia.

Destaque

"O que mais chama a nossa atenção é a melhora da autoestima, o desabrochar do afeto e a alegria das crianças e adolescentes pela convivência e interação com os animais. Eles se sentem mais confiantes e capazes e respondem melhor e mais rápido aos demais tratamentos. "

Taíse Girotto

Psicóloga da Casa Abrigo Divina Providência

Mais vagas para quem precisa

Em 2019, os recursos que chegaram por meio do Amigo de Valor permitiram a ampliação do número de vagas. “Somos a única instituição que presta esse serviço em Vacaria e a gente tinha uma longa lista de espera. Com esse apoio, conseguimos aumentar a equipe e a quantidade de atendimentos realizados, que já chegam a 280 por mês”, diz Juliana.

Todos os profissionais da Passo Amigo são capacitados pela Associação Nacional de Equoterapia, um método terapêutico reconhecido pelos Conselhos Federais de Medicina e de Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Para serem aceitas, as crianças precisam de laudo médico prescrevendo o tratamento.

Logo que chegam, passam pela avaliação do fisioterapeuta e psicólogo que, junto com o equitador, traçam o plano de atendimento. A partir daí, são feitos prontuários diários e, uma vez ao ano, reavaliações para acompanhar a evolução. Ao mesmo tempo, as famílias recebem atendimento psicossocial.

A atividade é realizada no Parque de Rodeios mantido pela Associação Rural de Vacaria, com quem a Passo Amigo tem contrato de comodato por 25 anos, renováveis por mais 25. Em breve, a ONG irá para a sua tão sonhada sede própria, construída por um empresário local dentro do próprio parque. O local terá espaços mais adequados aos atendimentos.